Chico Junior é conhecido por grandes atuações na gastronomia e na comunicação

01-chico junior_jul17_foto marina martins
Chico Junior / Foto de Marina Martins

Idealizador do ‘Maravilhas Gastronômicas do Estado do Rio de Janeiro’, Chico articula em prol de pequenos produtores e é um dos jornalistas mais respeitados da área

Chico Junior chegou discreto ao lançamento do projeto Olhar Saudável, no início do ano, mas não passou despercebido, um dos idealizadores desta iniciativa, o chef Joca Mesquita, o homenageou ao final do evento. Justo, afinal, Chico é um dos grandes articuladores dos pequenos produtores do Rio e, portanto, responsável por fazer a ponte entre esses profissionais e os consumidores, em especial os chefs de cozinha.

Embora siga realizando grandes feitos na gastronomia – que serão destacados no decorrer da matéria – Chico começou mesmo a sua caminhada na comunicação. Jornalista por formação, passou pelos veículos mais importantes do estado, do Pasquim ao Globo. Além disso, atuou como subsecretário de comunicação do governo Moreira Franco e coordenador de comunicação do governo Benedita da Silva.

 “Comecei a trabalhar em jornal em 1968, no extinto Correio da Manhã, e já passei pelos principias jornais do Rio de Janeiro, como Pasquim, O Globo, Jornal do Brasil, O Dia. Como jornalista, morei na Europa (Milão e Paris), como correspondente da revista Auto Esporte, cobrindo a participação de brasileiros na Fórmula 1, e do Jornal do Brasil (Fórmula 1 e esportes, em geral).” Comenta Chico.

Dentre as inúmeras experiências ao longo da carreira, ele destaca a escolha pelo jornalismo como uma opção durante a sua trajetória; ter morado na Europa, por quase quatro anos; conhecer uma boa parte do mundo, do Brasil e do Rio, seu estado; ter sido o responsável pela comunicação do primeiro show de Paul McCartney no Brasil; a atuação no Pasquim; a fundação do jornal alternativo “Repórter”, um feito ao lado de outros companheiros em 1977; e ter descoberto que a alimentação poderia ser uma bela alternativa profissional.

Na gastronomia

Na área gastronômica, Chico Junior é cozinheiro, pesquisador e autor de três livros relacionados ao tema (ele também escreveu mais três envolvendo outros assuntos): “Roteiros do Sabor Brasileiro”, “Roteiros do Sabor do Estado do Rio de Janeiro” e “Na boca do estômago – Uma viagem ao prazer de viajar e comer”. Claro, sem deixar de mencionar o conhecido projeto ‘Maravilhas Gastronômicas do Estado do Rio de Janeiro’.

A iniciativa premiava diversos produtos elaborados no estado, eles eram analisados em categorias e selecionados por meio da votação do público e da avaliação da banca organizadora do concurso. A finalidade era trazer visibilidade à produção local, contribuir para a cultura gastronômica regional e mapear diversos “tesouros” da culinária.

“Depois que publiquei o livro “Roteiros do Sabor do Estado do Rio de Janeiro”, em 2007, imaginei que poderia fazer algo mais em prol do apoio, do incentivo e da divulgação da produção gastronômica do meu estado. O Maravilhas, que teve três edições (2013, 2014 e 2015), é isso, um prêmio que valoriza a cultura do gosto regional.” Explica Chico.

Produção orgânica

A produção orgânica foi inserida nas atividades de Chico Junior há três anos, quando compreendeu a importância dos alimentos orgânicos e produtos agroecológicos para a saúde e meio ambiente. Ele desenvolve parcerias com o pequeno produtor, o agricultor familiar e com aqueles que utilizam os produtos destes profissionais.

Dessa maneira, procura ser um divulgador da pequena produção agropecuária. Chico também ressalta o seu papel como incentivador na busca pela agroecologia como alternativa para a atuação no campo.

Para o jornalista, dentre os principais desafios de quem trabalha com os alimentos orgânicos estão a superação da falta de incentivo político-econômico, embora o governo federal tenha um programa destinado à produção agroecológica, o Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica – Planapo, cuja verba é destinada para o desenvolvimento do setor; a diminuição do preço do produto para o consumidor final, consequência da falta de incentivo público para o desenvolvimento do setor; o enfrentamento na ação da agroindústria tradicional; e a conscientização da população sobre a importância da alimentação baseada em produtos agroecológicos.

No entanto, ele pontua que uma parcela da sociedade começa a entender a necessidade de se alimentar melhor, consumindo produtos agroecológicos e orgânicos. E os preços de alguns produtos, principalmente os manufaturados, produzidos em larga escala, começam a reduzir. “O mercado de orgânicos no Brasil cresceu algo em  torno de 20%, e estima-se o mesmo crescimento para 2018”. Explica Chico.

Sobre o Olhar Saudável, há a expectativa de Chico para que o projeto dê continuidade ao que já vem sendo realizado, ou seja, incentivar e divulgar a cultura da alimentação orgânica, a fim de evidenciar o trabalho dos produtores e fortalecer esta nova maneira de consumo para a população.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: